Sim, Sr.ª Ministra - Opinião de António Marçal no Correio da Manhã

Os trabalhadores judiciais iniciaram ontem uma greve que durará até 17 de junho. Iremos paralisar uma hora por dia, entre as 10h e as 11h00. No primeiro dia, a adesão foi elevada e, apesar das centenas de diligências adiadas ou interrompidas, as pessoas entenderam o nosso protesto, tal forma são justas as razões das nossas reivindicações. Porquê parar uma hora no período da manhã? Para que os cidadãos entendam a importância destes trabalhadores na realização da justiça e também porque corresponde ao tempo de trabalho que deveria ser realizado pelos trabalhadores que falta colocar nos tribunais (cerca de mil} bem como dos trabalhadores ausentes por razões de saúde (mais de 95 dias em 2018, a maioria por baixa prolongada). É uma luta que está nas mãos da Ministra da Justiça parar. Como? Cumprir o que está assumindo em ata das reuniões de 2018. Nós queremos ser parte da solução. Parece-nos que alguém no MJ não quer isso. E que tem dado informação incorreta à Ministra e ao Primeiro-Ministro ... Os trabalhadores estão determinados em levar avante a sua luta e, caso não haja abertura por parte do Governo, iremos intensificar o nosso protesto, culminando com uma greve alargada nos Juízos onde for tramitado o processo eleitoral autárquico! Podemos falar senhora Ministra, senhor Primeiro-Ministro? 

in CM 19.Maio2021

Documentos

Não foram anexados documentos

Partilhar: